logo

logo

Cineclube AF: La French Touch du Cinéma Indépendant

No intuito de abrir um espaço de diálogo sobre o cinema e diretores franceses contemporâneos, o Cineclube AF volta com ciclos temáticos de 4 filmes, com uma sessão a cada quinze dias. Totalmente baseada no catálogo de filmes do Instituto Francês, o IFCinema, a seleção dos títulos é feita, portanto, entre opções recentes e fora dos grandes circuitos de distribuição, garantindo ao público uma bela oportunidade de conhecer mais o cinema francês. Sempre às terças, às 19h30, com sessões seguidas de debate com a curadora Paule Maillet.

Mostra: “La French Touch du Cinéma Indépendant”

O cinema independente pode ser definido por dois aspectos principais: a produção fora dos conglomerados mediáticos e dotada de certa autonomia em relação aos métodos de produção, acordos e políticas do cinema popular. Por sua vez, o gênero ainda pode incluir o cinema amador, o cinema experimental, o cinema de guerrilha e, de certa maneira, o cinema de gênero.

Na França, existe uma organização para o gênero: a Associação para o cinema independente e sua difusão – ACID. Há alguns anos, a ACID propõe uma pequena seleção dos melhores filmes independentes do ano, em uma mostra no Festival de Cannes. A mostra ACID Cannes oferece aos filmes, evidentemente, uma grande visibilidade. 3 dos primeiros títulos a serem exibidos pelo Cineclube AF foram aclamados na mesma mostra em anos anteriores. Os diretores escolhidos têm não mais que 40 anos e em sua maioria, estão em seu primeiro longa-metragem de ficção – que realizaram com baixos orçamentos. É este cinema jovem, cheio de energia, audacioso e feito com os meios disponíveis no momento da produção que o público verá nas quatro sessões propostas pela Aliança Francesa. Apresentamos então, o cinema considerado pela crítica contemporânea como a nova “nouvelle vague” francesa – uma maneira de dizer que o cinema francês ainda não parou de se reinventar.

_________________

Paule Maillet é formada em Cinema pela Université de Provence (Aix-Marseille I). Após 8 anos em Paris trabalhando com produção e distribuição de conteúdos audiovisuais, foi adida audiovisual da Embaixada da França no Brasil, de 2012 a 2016. Na época, foi responsável pela cooperação audiovisual entre os dois países. Desde 2017, mora em Brasília.

PROGRAMAÇÃO:

17.10 ~ La Bataille de Solférino, de Justine Triet (2013)
Sinopse: Maio de 2012. Domingo. A França está prestes a eleger um novo presidente. Laetitia, uma repórter de um canal de notícias, junta-se à multidão que cerca o quartel-general da campanha de François Hollande para cobrir o evento. O filme integrou a Mostra ACID do Festival de Cannes 2013.

31.10 ~ Brooklyn, de Pascal Tessaud (2014)
Sinopse: Coralie, uma jovem suíça de 22 anos, chega em Paris com o sonho de ser um grande nome na música rap. Em um evento do local, acaba sendo empurrada para o palco e conquista o público, chamando a atenção de Issa, um rapper em ascensão.

14.11 ~ 2 Automnes et 3 hivers, de Sebastien Betbeder (2013)
Sinopse: Arman resolve mudar de vida. Para começar, começa a correr, e então conhece Amélie. A primeira impressão é um choque, a segunda, uma punhalada no coração. Entre dois outonos e três invernos as vidas de Amélie, Arman e Benjamin, seu melhor amigo, se cruzam, cheias de acidentes, amores e memórias.

28.11 ~ La loi de la jungle, Antonin Peretjako (2015)
Sinopse: Marc Châtaigne é um estagiário do Ministério da Norma, enviado a Guiana para o lançamento da primeira estação de esqui da Amazônia. Durante sua estadia no local, Marc fica perdido na selva com Tarzan, aprendiz no Instituto Nacional de Florestas.

Os filmes têm áudio em francês e legendas em português. Após as exibições, debate com a curadora Paule Maillet.

CINECLUBE AF • La French Touch du Cinéma Indépendant
terças-feiras • às 19h30
Auditório da Aliança Francesa – SEPS 708/907 lote A, Asa Sul
Entrada Franca