• robsonadriano3

Journée internationale des femmes - 8 mars

Atualizado: Mar 3

Por Robson Adriano

Uma singela homenagem a todas as mulheres que deixaram sua marca na história.

Selecionamos algumas personalidades femininas que conquistaram nosso respeito e se destacam pela sua inteligência, criatividade e coragem!

Mulheres admiráveis, são muitas, então como não conseguiremos falar de todas elas, aqui estão algumas de tantas que fizeram a diferença. São biografias marcantes que nos conquistaram com suas histórias de vida e sempre na vanguarda...


Escritora: George Sand (1804 – 1876).

George Sand - cujo nome verdadeiro é Amantine Aurore Lucile Dupin - foi a primeira mulher a viver de seu trabalho de escritora Ela publicava peças de teatro, contos, críticas literárias e crônicas políticas. Esta primeira feminista causou um escândalo ao escolher um pseudônimo masculino. Ela usava fantasias masculinas e tinha muitos relacionamentos apaixonados com homens e mulheres.

Alguns eram famosos, como Alfred de Musset e Chopin. Militante, ela se opôs a Napoleão III e à proclamação do Império em 1851 e defendeu o proletariado. Sua vida pessoal se reflete em muitos de seus romances, e ela nunca parou de escrever por quase 50 anos.



Cantora: Barbara

Bárbara, nome verdadeiro Monique Andrée Serf, ela foi um ícone da música francesa. Nascida no 17º arrondissement em 1930, com sua voz tocante e canções melancólicas que resistem ao tempo. Foram vários sucessos como L'Aigle Noir, Une petite cantata, Ma plus belle histoire d’amour; Dis quand reviendras-tu?, La solitude, Nantes, Le mal de vivre. São todas canções cult, muito específicas de uma das mais famosas cantoras dramáticas do século XIX. Além disso, desde 2010, o Prêmio Barbara é concedido anualmente aos novos talentos da musica francesa.

Frase marcante: "A voz é a música da alma"



Resistência: Joséphine Baker

Natural de Saint-Louis (EUA), Freda Joséphine MacDonald foi uma das primeiras celebridades femininas e negras. Polivalente, ela cantava, dançava, fazia comédia e participava ativamente da resistência francesa. Joséphine Baker, que chegou a Paris na década de 1920 e após ser rejeitada pelo fato de ser mais conhecida em Nova York, tornou-se uma grande estrela de um show de cabaret: La Revue Nègre. A musa dos pintores da época, adorada pelos músicos jazzísticos, estrela do cabaré, Joséphine Baker é uma das figuras mais famosas de Paris. Em 1939, ela se tornou uma agente de contra-espionagem. Terminada a ocupação, depois de ocultar muitas mensagens em sua pontuação e obter informações de muitas pessoas, ela continuou ativamente suas ações pela Cruz Vermelha. Mais tarde, vítima de segregação violenta em seu retorno aos Estados Unidos, ela fez uma campanha vigorosa contra o racismo.

Frase marcante: "Eu tenho dois amores ... Meu país e Paris"



Estilista: Coco Chanel

Nascida em 1883, Gabrielle Chasnel é a fundadora de uma das mais famosas e elegantes marcas de alta costura e perfumes do mundo. Coco Chanel virou a moda de cabeça para baixo, usando tecidos não convencionais (como jersey), desenhando cortes andrógenos, retos, vestindo calças e cortando o cabelo bem curto. As suas criações, muito vanguardistas e muito sóbrias, contrastam com as usadas pelas "mulheres elegantes da época". Em 1926, Coco Chanel desenhou o famoso vestidinho preto. Por que isso é uma revolução? Porque na época ainda era uma cor reservada para o luto. O modelo torna-se um clássico da grife e, de maneira mais geral, da moda.

Frase marcante: "A moda desaparece, só o estilo permanece"



Cientista: Marie Curie

Marie Sklodowska, casada com Curie, nasceu na Polônia em 1867. Física e química, é particularmente conhecida pelo trabalho realizado com o marido sobre a radiação, pelo qual recebeu metade do Prémio Nobel de Física em (1903). Marie Curie é a primeira mulher a receber o Prêmio Nobel e continua sendo a única mulher que teve dois (recebeu o de química em 1911). Hoje ela é uma das 4 mulheres enterradas no Panteão (de 76). Em breve 5, já que as cinzas de Simone Veil serão transferidas para lá neste verão.

Frase marcante: "Na vida, nada é temer, tudo deve ser entendido"



Atriz: Catherine Deneuve

Rosto de Jacques Demy e François Truffaut, atriz internacional, ganhadora de dois César, Catherine Deneuve é uma das maiores atrizes francesas de sua geração. Nos anos 60, Catherine Deneuve fez campanha pelo direito ao aborto, em particular assinando o manifesto 343. Ativista pelos direitos da mulher, hoje faz parte da polêmica da tribuna "contra o puritanismo" escrita em reação ao #MeToo movimento. Quer concordemos ou não, Catherine Deneuve continua a ser uma atriz e cantora francesa excepcional.

Seus filmes fazem sucesso até hoje como Belle de jour, Potiche, Le dernier métro, Huit femmes e vários outros...

Frase marcante: "Homens encantadores encantam a todos, mesmo em uma porta"



Filósofa e escritora: Simone de Beauvoir

Nascida e falecida em Paris, Simone de Beauvoir foi uma grande filósofa, romancista, teórica (especialmente sobre o existencialismo) e ativista feminista. Companheira de Sartre, nunca se casou: "O casamento duplica as obrigações familiares e todas as tarefas sociais. "(A Força da Idade). Simone de Beauvoir é autora do livro "O Segundo Sexo", hoje considerado um marco da literatura feminista.

Frase marcante: "Ninguém é mais arrogante com as mulheres, mais agressivo ou mais desdenhoso do que um homem preocupado com sua virilidade"



Pintora: Bonheur Rosa

Se você pensava que Rosa Bonheur era apenas o nome de alguns restaurantes da moda parisiense, que bom que está lendo este artigo! Pelo seu nome completo, Marie-Rosalie Bonheur, Rosa foi uma grande escultora e pintora francesa, mas não só. Especializada em cenas de vida e pintura e escultura de animais, ela foi a primeira pintora mulher a receber a Legião de Honra em 1865. Em 1894, ela se tornou a primeira mulher a ser promovida ao posto de oficial. Mulher independente, ela sempre se recusou a se casar: "O casamento torna as mulheres subordinadas aos homens", diz ela. Uma de suas pinturas mais conhecidas, ``Arando Nivernais ``, pode ser encontrada hoje no Musée d´Orsay.

Frase marcante: "A agricultura deve ter seu lugar e sua classificação"



Política: Simone Veil

Simone Veil, cujas cinzas foram transferidas em 1º de julho de 2018 para o Panteão, é uma das maiores figuras do feminismo na França. Sobrevivente de Auschwitz, Ministra da Saúde, é a ela que devemos a legalização do aborto. Primeira Presidente do Parlamento Europeu, Ministra dos Assuntos Sociais, Simone Veil também foi uma mulher de letras: em 2010, entrou na Academia Francesa! Ela é ainda hoje a 6ª mulher a sentar-se na instituição literária, conhecida por ser extremamente conservadora (entenda macho).

Frase marcante: “Não há nada mais enfadonho do que um comício eleitoral. Um dia adormeci durante a minha própria fala ”


77 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Aliança Francesa de Brasília • 3262-7600 
Asa Sul - SEPS 708/907 | Conjunto A
 

Devido às recomendações sanitárias em relação ao Coronavírus (COVID–19) e conforme orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Ministério da Saúde, do Centro de Controle de Doenças (CDC) e outros órgãos de governo, para preservar a saúde dos nossos funcionários e garantir a continuidade do trabalho feito pela AF, as atividades da Aliança Francesa de Brasília serão feitas em home office a partir do dia 19/03.
Atendimento via telefone e redes sociais de segunda a sexta, de 9h às 17h.

Receba a nossa newsletter

  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube