Stupeurs et tremblements: um mergulho no universo de uma empresa japonesa

Atualizado: Abr 14

A história acontece no Japão, com a chegada da protagonista na empresa Yumimoto, no início do ano de 1990. Contratada por um ano,  ela vai rapidamente descobrir que tanto o mundo profissional no Japão como as relações são dirigidas segundo a hierarquia. Suas desventuras contadas com humor nos dão um olhar para a organização social japonesa através dos olhos da personagem.  



Um mergulho no mundo social das empresas japonesas…

Toda a história acontece na empresa japonesa, onde descobrimos as engrenagens  do poder da autoridade. O livro, inspirado pela experiência pessoal da autora, relata o ano que ela passou nessa empresa e sua descida profissional. Contratada pelas competências linguísticas e culturais, ela não as utiliza, encarregando-se de apenas servir o café. 

Rapidamente, a protagonista vai se confronta ao sistema piramidal e aprende, nas dificuldades, os códigos profissionais e sociais da empresa: hierarquia inultrapassável, humilhação, competição.     

Com os olhos dela, entramos no universo social japonês, onde o sucesso profissional é considerado como necessidade, não para ser feliz, mas para assumir essa posição na sociedade. Disso nasceram muitas obrigações que esmagam tanto as mulheres quanto os homens. 


Os diálogos mostram como a vergonha faz o sistema permanecer. Vergonha de não ser suficientemente inteligente, de não trabalhar o bastante. A eficácia é colocada no topo e faz cada um trabalhar cada vez mais. 

 …com humor e sátira 

Se o tema abordado parece pesado, ela relata a história com zombaria. O leitor segue as peripécias da protagonista, que se tornam  cada vez mais loucas. Ao final, ela trabalha como faxineira.  


Nessa sátira do mundo profissional, Amélie Nothomb mostra a condição de ser mulher no Japão e os deveres femininos: ser bela mas não vulgar, se casar antes dos 30 anos para não perder a honra. Esse sistema tem também os próprios limites: 

“Il y avait donc une incohérence dans le règlement prévu pour les femmes: être irréprochable en travaillant avec acharnement menait à dépasser l’âge de vingt-cinq ans sans être mariée et, par conséquent, à ne pas être irréprochable.Le sommet du sadisme résidait dans son aporie*: le respecter menait à ne pas le respecter.”


Por fim, a protagonista aceita o injusto tratamento na empresa sem manifestar desacordo: “J’étais consciente de cette injustice et pourtant je m’y soumettais à fond. Les attitudes les plus compréhensibles d’une vie sont souvent dues à la persistance d’un éblouissement de jeunesse: enfant, la beauté de mon univers japonais m’avait tant frappée que je fonctionnait encore sur le réservoir affectif. J’avais à présent sous les yeux l’horreur méprisante d’un système qui niait ce que j’avais aimé et cependant je restais fidèle à ces valeurs auxquelles je ne croyais plus.”


Enfim, esse livro, apropriado para o nível intermediário/avançado, é uma maneira de provar o humor da autora e de pensar nossa relação e nossos valores no trabalho.  

Onde encontrar ?

A midiateca da Aliança Francesa de Brasília tem o livro e você pode pegar emprestado gratuitamente. 


* A midiateca é um serviço oferecido a todos alunos da AF Brasília. Você pode também consultar e pegar livros emprestados pagando uma anuidade. 

Posts recentes

Ver tudo